Prensa para Canecas: 9 Dicas para Você Acertar na Escolha

Marcos Gervazoni

Marcos Gervazoni

Comecei com Sublimação em 2010, numa época onde as informações eram muito difíceis de ser encontradas. Desde 2017 à frente da Central da Sublimação para facilitar a vida de quem quer começar.

FAÇA COMO mais de três mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos todas as sextas-feiras

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

A máquina mais comprada entre os profissionais de sublimação é a Prensa para Canecas. Conforme uma enquete realizada aqui no site, cerca de 95% dos entrevistados trabalham com essa máquina.

O fato dela ser compacta e barata (se comparada à prensa de camisetas) ajuda muito na sua popularidade.

Por conta dessa popularidade e facilidade de encontrar máquinas a venda foi elaborado este artigo que contém as principais questões para levar em conta na hora de optar por uma Prensa para Canecas.


# 1 – Fique de olho nas peças plásticas

Embora seja cada vez menos comum encontrarmos Prensas para Canecas com partes de plástico, elas ainda existem no mercado. Tenha certeza de que essas partes plásticas não fiquem próximas demais da resistência da prensa.

Dê preferência às máquinas que tenham o seu corpo feito de metal.


# 2 – Observe o Fuso de Pressão

O fuso de pressão é o responsável pela regulagem da pressão dos itens que você vai estampar. Identifique o tamanho máximo e mínimo de seu percurso. Também identifique o material com o qual ele é feito para evitar quebras pelo uso de material pouco resistente para esta função.

fuso


#  3 – Analise a Manta Térmica

Ao comprar a Prensa de Canecas se certifique que a manta que vem junto está livre de qualquer tipo de irregularidade e bolhas. Também verifique se a sua espessura está uniforme e se ela não apresenta marcas de uso.
Preste atenção às mantas pois elas podem variar de espessura (mais grossas estampam produtos com diâmetro menor, mais finas estampas produtos com diâmetro menor) e de formato (cônico ou cilíndrico).

resistências

No caso das mantas também é importante ficar atento à questão dos pinos conectores. Veja se a prensa possui conector de 4 ou de 5 pinos.


# 4 – Questione sobre Peças de Reposição

Ao comprar uma máquina de uma loja, questione se há, nesta mesma loja, peças de reposição. Especialmente as mantas e o painel.

Caso a loja não as venda, faça uma busca rápida pelo Mercado Livre para identificar a facilidade ou não, de encontrar essas peças.


# 5 – Voltagem: 110V ou 220V

Pode parecer óbvio, mas às vezes essa verificação tão simples acaba passando batido na hora de comprar uma máquina de estampar. Dê preferência à máquina com voltagem igual a do local onde ela será usada.

Lembre-se de, se possível, fazer uma instalação profissional em separado para as máquinas de sublimação.


# 6 – Graus Celsius (ºC) ou Fahrenheit (ºF)

Conheça a unidade de medida da temperatura da prensa antes de adquiri-la. No mercado há prensas com as duas unidades de medida. Saber qual é a unidade que a sua prensa utiliza proporcionará que se tenha a regulagem adequada da temperatura para cada produto. Ao adquirir uma prensa com unidade de medida de temperatura em Fahrenheit (ºF) você precisará sempre fazer a conversão para estampar, uma vez que a grande maioria dos fotoprodutos trazem a sua especificação de temperatura em ºC.

Para fazer isso é muito simples, basta digitar no Google “converter temperatura” que abrirá a calculadora do próprio site:

temperatura

Com a calculadora aberta basta digitar a temperatura m Celsius que ela será convertida para Fahrenheit  (também é possível fazer o cálculo contrário).


# 7 – Certificado “CE”

Procure na prensa o certificado (ou selo) “CE”. Este selo é o equivalente ao nosso selo do INMETRO. Porém, atesta a segurança do produto conforme inúmeras regras da União Européia.

certificado CE


# 8 – GARANTIA É OBRIGAÇÃO

Qualquer prensa vendida no Brasil como NOVA, independente de sua origem, está coberta por garantia de 90 dias contra defeitos de fabricação, sejam esses defeitos visíveis ou ” vícios ocultos” (vícios ocultos são defeitos que são percebidos apenas após o uso da máquina).

Essa garantia de 90 dias não é boa vontade de vendedor ou empresa. Estes, na verdade, nem precisam informá-lo sobre isso. É LEI!

Isso está previsto no Código de Defesa do Consumidor (CDC), não sendo aplicado a compras de pessoas jurídicas.


# 9 – Compras pela Internet e o Direito de Arrependimento

Para toda e qualquer compra que não é realizada presencialmente (como compras pela internet, televendas, aplicativos de vendas) o consumidor tem o direito de, no prazo de 7 dias após o recebimento do produto, fazer a devolução e ter o reembolso do valor pago. Vale destacar que o produto comprado não pode apresentar marcas de uso.

Também cabe destacar que, nesta condição (dentro do prazo) o consumidor não tem necessidade de justificar o motivo da devolução.

Em relação ao frete, não há uma regra. É válido o que consta nos Termos e Condições do vendedor ou o acordado entre as partes.

Gostou? Envie a um amigo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Gostou? Compartilhe com seus amigos:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
E-mail

Artigos Relacionados