Trabalhando de graça? Isso não é um bom negócio!

Marcos Gervazoni

Marcos Gervazoni

Comecei com Sublimação em 2010, numa época onde as informações eram muito difíceis de ser encontradas. Desde 2017 à frente da Central da Sublimação para facilitar a vida de quem quer começar.

Faça como mais de cinco mil pessoas

Entre para nossa LISTA VIP e receba conteúdos exclusivos todas as sextas-feiras

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

O processo de criação de um produto é muito importante e, como já falamos outras vezes, é o que acaba tomando a maior parte do tempo.

Captar o que o cliente deseja e transferir isso para a estampa é, talvez, a parte mais complexa de todo o processo de sublimação.

Mas e quando você cria uma estampa após horas e horas de trabalho, mostra ao seu cliente e este desiste da compra?

Ou pior: com a sua arte (a sua criação – de sua autoria) leva a um concorrente e pede para ele reproduzí-la de maneira exatamente igual?

Conta pra gente: isso já aconteceu com você?

Infelizmente isso é mais comum do que parece ser.

Neste artigo vamos falar sobre um maneira para você gerenciar melhor seu tempo e evitar que esse tipo de situação aconteça.

O resultado é ótimo: você só trabalha para quem vai lhe comprar. Não perde tempo à toa, e o melhor, não vai desenvolver estampas para o concorrente.


# 1 – Divida a cobrança: peça um sinal (50%) do valor do produto.

Parece óbvio, mas tem muito profissional que deixa passar essa regrinha de ouro: não comece a trabalhar até que o cliente não tenha sinalizado (pago) uma parte do produto.  Adotar essa prática lhe trará benefícios como uma segurança em receber pelo trabalho realizado e também evitará que aconteça a situação comenta anteriormente, do seu cliente levar a sua estampa ao seu concorrente após finalizada.

Lembre-se: o desenvolvimento da estampa é parte do processo e deve ser cobrado.

# 2 – Limite as alterações.

Não há maneira de evitar uma ou outra alteração. As vezes é a cor, algum elemento ou a foto que não ficou conforme o gosto do cliente. Isso é normal e vai acontecer. Porém há situações que extrapolam o bom senso e acabam deixando o profissional frustrado e extremamente irritado. Para reduzir isso avise seu cliente que até um número ‘X’ de alterações não haverá acréscimo de valor. No entanto a partir desse limite haverá um acréscimo.

Junto a isso utilize do recurso do Briefing: facilitará em muito na hora de você entender o que o cliente realmente quer na estampa.

Leia o artigo sobre Briefing e faça o download do modelo que elaboramos para você:

# 3 – Encaminhe amostras.

Esse ponto também é bastante óbvio, mas há profissionais que não executam: envie opções ao seu cliente.

Mas cuidado! Não mande muitas, pois pode acabar o confundindo!

O ideal é mandar duas ou três opções: todas com diferenças entre si para que ele possa escolher a que mais o agradar.

Caso você possua mais experiência nos softwares de edição de imagem, pode aproveitar e enviar o arquivo de opções em lindos mockups.

Isso com certeza agradará ainda mais seu cliente que poderá ver como o produto ficará.

Para enviar as alternativas utilize o Messenger do Facebook ou o Whatsapp. Acabam sendo bem mais práticos!

# 4 – Só produza após a aprovação.

Não é porque você encaminhou apenas uma amostra ao cliente que tudo está certo e você pode produzir.

Aguarde a confirmação por parte dele. Só produza após ele confirmar que a fonte está correta, as cores estão legais, os nomes estão certos.

Não produza nada, por mais certeza que você tenha que seu cliente irá gostar, antes dele enviar uma aprovação.

Isso vale mesmo para os casos onde o cliente leva a arte até você: monte um mockup, envie a ele, e aguarde o 'ok'.

# 5 – Não altere NADA sem o consentimento do cliente.

Por algum motivo você teve que alterar a fonte? A cor? Fazer um pequeno reposicionamento de algum elemento da estampa?

Avise ao cliente. Mostre a ele como estava e como ficou.

Sim, até nas mudanças mais simples! Isso evitará a “surpresa” de seu cliente chegar para buscar o produto e lhe dizer: “ah! mas na amostra estava diferente!”.

As vezes quando o seu cliente lhe manda a arte pode ser que a fonte que ele usou seja diferente das instaladas no seu computador.

Por padrão o software vai substituir por alguma parecida. Tome cuidado com esse tipo de situação.

Comunique toda e qualquer alteração que seja necessária ao cliente.

A dica final é uma a mais importante:

# 6 – Comunique seu cliente sobre tudo isso.

Monte essas regrinhas para seu negócio mas deixe o cliente ciente de tudo isso.

Fazendo isso você estará passando uma ideia de profissionalismo, comprometimento e muita segurança ao seu cliente.

Não adianta você saber dessas regras: seu cliente também é parte do processo, ele também precisa estar ciente “das regras do jogo”. Não tenha medo ou vergonha: você não está fazendo nada de mais, apenas protegendo o seu trabalho e dando mais opções ao cliente para que se sinta seguro em comprar de você.

Gostou? Envie a um amigo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Gostou? Compartilhe com seus amigos:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
E-mail

Artigos Relacionados

avaliação

GOSTOU DO QUE LEU?

Clique no botão ao lado e diga o que você acha da Central da Sublimação!

Dúvidas? Me chame!