CMYK ou RGB: QUAL É O CERTO [Resolvido]

Marcos Gervazoni

Marcos Gervazoni

Comecei com Sublimação em 2010, numa época onde as informações eram muito difíceis de ser encontradas. Desde 2017 à frente da Central da Sublimação para facilitar a vida de quem quer começar.

Faça como mais de cinco mil pessoas

Entre para nossa LISTA VIP e receba conteúdos exclusivos todas as sextas-feiras

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Se eu tivesse que escolher qual a maior dúvida que as pessoas que trabalham com sublimação tem eu escolheria essa.

A confusão entre CMYK e RGB é uma verdadeira incógnita no mercado da sublimação (de pequenos formatos).

Mais do que apenas dizer para você qual você deveria utilizar é melhor aproveitarmos um tempo para explicar nos detalhes o que é cada uma dessas siglas, como elas surgiram e porque elas são diferentes. Sabendo disso tudo, nunca mais surgirá uma dúvida na hora de criar uma estampa ou imprimir.

CMYK: o que é

CMYK é a inicial das cores [C]iano, [M]agenta, [Y]ellow (amarelo) e [K]ey (preto). Esse sistema de cor é baseado em pigmentos, ou seja, é adotado pela indústria impressa, sendo as cores baseadas em papel e não em monitores.

As cores que visualizamos em revistas, jornais e qualquer outra situação impressa é uma fórmula com percentuais (%) de cada uma das cores (Ciano, Magenta, Amarelo e Preto).

Um detalhe interessante a respeito do padrão de cores CMYK é que o K (preto) foi introduzido posteriormente ao sistema. Antes acreditava-se que tendo 100% de todas as demais cores (Ciano, Magenta e Amarelo) chegava-se ao preto, porém percebeu-se que o resultado era um tom escuro de marrom – e não o preto. Por conta disso adicionou-se o K (na sigla) e o preto na combinação.

padrão cmyk

O padrão CMYK é um sistema de cores subtrativas, ou seja, as cores (ciano, magenta, amarelo e preto) subtraem a luz branca refletida no papel.

As porcentagens no modelo CMYK são quem definem o que e quanto desses espectros serão absorvidos e que cor atingirá o olho humano. É por isso que 0%, 0%, 0%, 0% significa que não há tinta e nenhuma luz é absorvida, resultando em branco. Já, por outro lado 100%, 100%, 100%, 100% significa a aplicação máxima de tinta e, consequentemente, máxima absorção de luz, resultando no preto puro.

RGB: O que é

A abreviação RGB compreende as cores [R]ed (vermelho), [G]reen (verde) e [B]lue (azul) e representam o padrão de cores utilizados em equipamentos eletrônicos como monitores, celulares e televisões.

Diferente do padrão CMYK, o padrão RGB é um sistema de cores aditivo. Com isso parte-se da ausência de luz (escuridão) e, com a adição de diferentes luzes (cores) obtém-se as cores desejadas.

Novamente diferente do padrão CMYK o padrão RGB não utiliza de porcentagens para a mistura de cores. Neste padrão utiliza-se um valor mínimo de 0 e um valor máximo de 255.

Para obter o branco usa-se 255 para cada uma das cores. Enquanto para se chegar ao preto absoluto deve-se utilizar 0 para as três cores.

Onde aplicar cada Padrão de Cor?

rgb-vs-cmyk

Como você pode observar os padrões de cores são diferentes por conta de sua finalidade e aplicação. Por causa dessa diferença (entre luz – RGB e pigmento – CMYK) pode haver diferenças entre a apresentação de uma imagem na tela de um computador (RGB) e a sua versão impressa (CMYK).

Isso acontece pois o RGB permite a criação de mais de 16 milhões de cores, sendo um leque muito maior que o possível de se atingir com o CMYK. Essas diferenças ficam bastante perceptíveis em cores vibrantes do RGB, que acabam ficando um pouco opacas no padrão CMYK.

A aplicação por Padrão de Cor é comumente utilizado conforme abaixo:

CMYK:

• Em cartões de visita;
• Em estampas de camisetas;
• Em cartazes, banners e posters;
• Em imagens de revistas ou jornais;
• Em folders;
• Em outdoors.

RGB:

• Apresentações do Power Point;
• Em banners para a internet;
• Em vídeos;
• Em postagens de redes sociais;
• Em sites da internet.

MAS PARA A SUBLIMAÇÃO…

Há apenas um caso onde esse padrão pode ser utilizado diferente: em impressoras domésticas (como as Epsons usadas na Sublimação de Pequenos Formatos).

OU SEJA, CRIE E FINALIZE A IMAGEM EM RGB. A IMPRESSORA FARÁ O TRABALHO DE CONVERTER PARA OS VALORES CMYK.

Confira abaixo a instrução da própria EPSON com relação a esse assunto:

“Em geral, as impressoras jato de tinta são dispositivos RGB; mesmo que utilizem ciano, magenta, amarelo e preto na impressão. Por isso você deve enviar arquivos para impressão que estejam num espaço de cor RGB e o controlador de impressão da impressora, no caso a Epson, que vai converter os dados RGB da imagem em valores CMYK e calcular a quantidade de tinta de cada cor necessária para reproduzir cada valor CMYK. O controlador leva também em conta o tipo de papel que está utilizado.”

Será tarefa da impressora, ao mandarmos imprimir, fazer a conversão necessária (afinal a impressora vai imprimir em CMYK). Dessa forma é fundamental ter em mente que as cores nunca estarão 100% idênticas (vide explicação da própria EPSON):

As cores impressas nunca poderão corresponder exatamente às cores no monitor do computador porque impressoras e monitores utilizam sistemas de cor diferentes: os monitores usam RGB (vermelho, verde e azul) e impressoras normalmente utilizam CMYK (ciano, magenta, amarelo e preto).

Mistério resolvido!

Gostou? Envie a um amigo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Gostou? Compartilhe com seus amigos:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
E-mail

Artigos Relacionados

avaliação

GOSTOU DO QUE LEU?

Clique no botão ao lado e diga o que você acha da Central da Sublimação!

Dúvidas? Me chame!