Sofrendo com Alterações? Pode ser por falta de um Briefing!

Marcos Gervazoni

Marcos Gervazoni

Comecei com Sublimação em 2010, numa época onde as informações eram muito difíceis de ser encontradas. Desde 2017 à frente da Central da Sublimação para facilitar a vida de quem quer começar.

FAÇA COMO mais de três mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos todas as sextas-feiras

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Grande parte do tempo de produção de um item é a elaboração do criativo (arte).  É comum que o cliente solicite alterações, o que acaba por aumentar ainda mais esse tempo pois cada alteração é um novo retrabalho que precisa ser feito antes de imprimir, prensar embalar e entregar.

Para piorar a situação enquanto se está fazendo o criativo não se consegue fazer outra coisa: a dedicação fica 100% nessa tarefa que requer criatividade, concentração e habilidade em manusear o software. Refazer todo ou parte do trabalho é frustrante, desmotivador e gera um gargalo à sua produção. As vezes pode até ser causa de atrasos ou de jornadas prolongadas no serviço.

Neste artigo vamos comentar sobre o que é um Briefing e como ele pode ser utilizado para que você otimize seu tempo de criação sendo mais assertivo.  Por fim você poderá fazer o download de um modelo de briefing para usar ou se basear para criar o seu próprio.


# 1 – Briefing: o que é:

O Briefing é uma ferramenta muito utilizado em agências de publicidade e propaganda e de marketing digital para reunir todas as informações relevantes à execução de um projeto, serviço ou trabalho. Tendo como foco o desenvolvimento de um plano de ações que resultem em um trabalho de acordo com as expectativas, objetivos e exigências do cliente. De certo modo, o Briefing é um documento que vai lhe fazer conhecer o seu cliente.

Ótimo! Agora já sabemos o que é um briefing. Vamos falar sobre como elaborar um que será realmente útil e lhe permitira otimizar o seu tempo e ser mais assertivo em suas criações? Vamos lá!


# 2 – O que levar em conta:

Vamos começar pensando no que é importante saber do seu cliente para que a elaboração da arte esteja e acordo com as expectativas, necessidades e objetivos do cliente. Um produto que atenda a essas três questão estará pronto para ser estampado, embalado e entregue ao cliente.

  • Objetivos: uma das principais etapas de um bom briefing é saber o que o cliente deseja. Qual o seu objetivo. Ele procura uma caneca, um mousepad, uma camiseta ou um par de chinelos?
  • Prazo: além de saber o que você precisa fazer é importante que você saiba se terá condição de atender dentro do prazo necessário. Afinal, se for um  produto para presentar alguém ou para ser distribuído em um evento, de nada vai adiantar entregar depois da data. Também é necessário posicionar a necessidade de tempo que você tem para produzir algo. Lembre-se sempre: você é o profissional. É você quem sabe dos detalhes das situações. O seu cliente não vai conhecer todo o processo e os tempos envolvidos.
  • Alvo: aqui é onde haverá o seu direcionamento de todo o processo criativo para a elaboração de uma arte perfeita. Nesta etapa você precisa compreender todos os detalhes que envolvem a criação da estampa: para quem é o produto. Para que ocasião ele será usado.  É uma caneca para as Bodas de 50 anos de casados dos avós ou o presente para o Dia dos Pais? Esse pai é mais jovem ou mais velho? Que cores a pessoa que vai receber gosta? Torce para algum time? Tem algum animal de estimação? Enfim, é necessário, nesta etapa, coletar o máximo de informação sobre quem vai receber o produto ou qual a finalidade de uso desse produto.
    • Estilo: entenda o estilo que o cliente deseja, se é algo mais colorido e alegre, ou algo mais neutro com tons sóbrios. É uma caneca para um fã de rock’n roll ou uma caneca de aniversário infantil.
    • Objeções: tão importante quanto saber do que seu cliente gosta é saber do que ele não gosta. Não tenha receio de perguntar “o que você não pode colocar na caneca”
  • Disponibilidade de Material: é muito comum a pessoa querer personalizar o produto com um logotipo de uma empresa ou uma foto de alguma pessoa. Certifique-se de que o material que você terá a disposição para utilizar esteja em uma qualidade que possibilite manuseá-la. Caso o material disponível não esteja dentro de uma condição razoável para a execução do trabalho, comunique o cliente. Não comece um serviço – e muito pior: não dê prazos, sem conhecer o material com o qual você vai trabalhar. Isso evitará dores de cabeça em relação ao prazo e evitará o inconveniente de ter que avisar que o material enviado não é suficiente para a conclusão do serviço após tê-lo recebido.

Com base nesses conceitos você já estará visualizando a sua criação durante a própria conversa. Isso facilitará muito para quando estiver sentado na frente do computador iniciando o processo de criação da estampa.


# 3 – Dicas Gerais: lembre-se disso a todo momento!

Seja simples!

Não exagere nas perguntas e nos termos técnicos para não parecer que ao invés de uma compra o seu cliente está sendo interrogado. Facilite as perguntas e pense em tudo como se fosse uma conversa. Deixe as informações surgirem de maneira natural e espontânea. Instigue seu cliente a lhe passar as informações de maneira descontraída.

Treine as pessoas!

Se você trabalha sozinho terá de treinar apenas a si mesmo. No entanto se sua loja possui mais pessoas que poderão receber as solicitações de personalização deixe-as aptas no mesmo grau de entendimento que você. A padronização da qualidade das informações será muito útil na hora de criar.

Tenha foco!

Mantenha-se ciente de que, durante a elaboração do briefing é você quem está ali para entender as expectativas, necessidades e objetivos do cliente. E não o contrário.

Atenção às entrelinhas!

Existem pessoas que  possuem facilidade em se comunicar ou em definir o que querem. Outras já são um pouco mais tímidas e acabam falando menos. Há também as que não sabem ao certo o que querem. Caberá a você conseguir “entender as entrelinhas” da conversa para identificar alguns dos pontos levantados anteriormente.

Não se apegue ao roteiro!

Ter um roteiro é fundamental para a padronização das informações. Deixe a conversa fluir e vá encaixando as respostas no seu roteiro. Não se prenda exatamente a ordem das perguntas e a sequência estipulada pelo seu briefing. Seja flexível e saiba se adaptar à conversa do cliente.


# 4 – Os ganhos usando um Briefing:

  • Planejamento: ter um briefing alinhado fará mais do que organizar o seu trabalho de criação. Ele facilitará toda a organização da sua empresa. Com o processo todo “desenhado” ficará menos provável que você saia do foco ou que aconteçam ruídos na comunicação. Isso acabaria atrapalhando o processo todo. Dessa forma você passará à seu cliente a impressão correta em relação ao quanto a sua empresa é organizada e preza pelo bom serviço.
  • Organização: elabore um briefing de maneira organizada. Separe os assuntos por tópicos e siga uma metodologia ou um roteiro. Com o tempo você irá se familiarizar com a sua organização (padrão) e saberá encontrar de maneira rápida, fácil e precisa a informação que procura. Caso contrário, se você não seguir uma organização (padrão) a cada nova dúvida você precisará ler todo o briefing novamente.
  • Criatividade: as informações que são transmitidas pelo seu cliente (de forma direta ou através das entrelinhas) é a maior fonte informação para a elaboração do seu trabalho. Se toda a equipe tiver possibilidade de conhecer a história por trás do produto, com certeza, trabalharão mais inspirados. Produzir algo apenas para apresentar algo ao cliente é um dos maiores erros que você pode cometer.
  • Trabalhos Perfeitos: com todo o time conhecendo as expectativas necessidades e objetivos do cliente fica mais fácil encantá-lo. Faça da leitura do briefing um hábito – entre você e sua equipe. Os resultados com certeza valerão a pena.

# 5 – Modelo de Briefing:

Abaixo será disponibilizado um arquivo que poderá ser usado pela sua empresa para a coleta das informações. Caso tenha informações de mais ou de menos, servirá como base para que você crie seu próprio arquivo de briefing.

Vale reforçar: não há certo ou errado, trabalhe com um arquivo que supra as suas necessidades.

Download de Modelo de Briefing

Não deixe de usar essa ótima ferramenta que vai ajudá-lo a ser mais assertivo na elaboração de suas estampas e na organização das suas demandas.

Gostou? Envie a um amigo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Gostou? Compartilhe com seus amigos:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
E-mail

Artigos Relacionados